terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Carta A Um * Romântico


(...) Olha, sabes que tu tens toda a razão. Nesse meu período de solteira, tenho vivido muitas situações que têm me feito parar para pensar. Entendo o que disseste a respeito da não vontade de beijar alguém. Acho que talvez a grande parte das pessoas tomem certas atitudes quase no "automático", sem parar para pensar no que querem realmente. Mas sabes que até acho que beijar alguém (ou ir além disso), não é o tipo de intimidade que mais gera receio. O envolvimento afetivo, sim.Tenho conhecido pessoas legais (sou otimista e me recuso a desistir de acreditar na boa intenção alheia). E o que mais me espanta é que tem muita gente verdadeiramente traumatizada por aí, que acabaram por se tornarem frias/ reticentes por puro medo. Deixam de viver tantas coisas boas por covardia. Eu resumiria tudo isso em baixa tolerância a frustração, que, em última instãncia, denota a imaturidade emocional em se lidar, sobretudo, com os próprios sentimentos.
Bah! Acho que estou inspirada hoje! Bem, o que quis dizer com tudo isso, é que não desistas. Meu lema é: 'Se gato escaldado tem medo de água fria...eu visto a minha roupa de neoprene!".
Muitos beijos e espero que, independente de nossos respectivos estados civis, possamos sentar e bater um longo papo, pois valorizo a convivência com pessoas que tenham algo de bom a me acrescentar!

* Sim, eles ainda existem.

2 comentários:

Daniel disse...

Belas palavras. Repara que, na foto, ela parece mais alta do que ele -- o que pode ser um presságio! Continue acreditando... Beijo grande.

Beth disse...

Bah, juro que não havia reparado...Vai saber, né?
Pode deixar que vou continuar acreditando - isso faz parte da minha essência!
Beijos!